Escolha uma Página

A Holanda que há anos é um dos países que mais investe na mobilidade urbana e sustentável no mundo, em razão de priorizar a integração modal, que é integrar os meios de transportes, como o transporte público representando 17%, bicicletas 30% e carros 53%.

Ao contrário do Brasil que nas horas de pico as ruas ficam congestionadas de carros, na Holanda o que se vê nesses horários são bicicletas, mesmo porque são levadas a sério, tanto, que se beneficiam de inúmeras faixas exclusivas, além de um sistema de sinalização exclusivo para as ciclovias

Além disso, a população pode trocar o carro pela bicicleta facilmente, basta alugar por 24 horas, daí, é um incentivo a mais para deixar o carro na garagem pelo menos um ou dois dias por semana

Embora na Holanda a mobilidade urbana de 1º mundo seja algo notável como pode-se imaginar, mesmo assim, congestionamentos de trânsito continuam acontecendo, claro que cada vez menos, principalmente em Amsterdam, por isso, os veículos precisam ter GPS que ajude a encontrar rotas alternativas para não aumentar o caos.

Andar de transporte público na Holanda é realmente de 1º mundo!

Para tomar um ônibus, basta ir até o ponto próximo e procurar as informações sobre o horário e itinerário de cada linha, e como todo tipo de transporte está interligado, tem como saber o horário do ônibus, do trem, do metrô e do bonde, todos sem atrasos.

Eventualmente em casos esporádicos pode ocorrer algum problema mais sério em alguma linha, mas, os usuários são avisados com antecedência para se programarem, ou seja, se o horário do ônibus é as 10:15 horas, o usuário pode chegar no ponto as 10:14 horas, se chegar após as 10:15 horas, perdeu o transporte.

Comparado ao Brasil, principalmente os ônibus estão longe do padrão europeu, já que os motoristas de lá dirigem com cautela sabendo que o transporte são de pessoas que merecem respeito, então freadas repentinas só em último caso, além disso, a limpeza e o conforto são elogiáveis.

Aqui, para alcançarmos uma mobilidade urbana de 1º mundo,  seria necessário uma mudança na cultura ,já que o que o país depende da indústria automobilística para obter lucros e gerar emprego, talvez  seja por isso, que as alternativas para os transportes ficam a desejar.

Atualmente a quantidade de veículos particulares que circulam pelo país, está desproporcional aos investimentos que vem sendo feitos na infraestrutura em geral para a melhoria da mobilidade urbana de uma maneira eficiente, e claro, atraente.

A prova disso, é que a maioria dos motoristas preferem enfrentar congestionamentos gigantescos, gastar com estacionamentos, e passar horas de estresse diariamente, em vez de ficar minutos apertado dentro de ônibus, trens e metrôs, a maioria sem ar condicionado, mesmo com os corredores que agilizam a velocidade dos ônibus, ainda está longe do que o brasileiro gostaria.

Por enquanto, só nos resta torcer para que um dia o Brasil esteja dentro dos padrões da mobilidade urbana de 1º mundo como acontece na Holanda, e em outros países, com transporte público de qualidade, avenidas, estradas e ciclovias planejadas e sinalizadas que ofereçam segurança para todos.

Saiba na hora que um novo vídeo foi postado. Com novidades em equipamentos automotivos, segurança e entretenimento da área mecânica, informação e lazer.

Nota

Imagens meramente ilustrativas.

Atenção! Importante a leitura da Nota de Esclarecimento presente ao final da página.

A Holanda que há anos é um dos países que mais investe na mobilidade urbana e sustentável no mundo, em razão de priorizar a integração modal, que é integrar os meios de transportes, como o transporte público representando 17%, bicicletas 30% e carros 53%.

Ao contrário do Brasil que nas horas de pico as ruas ficam congestionadas de carros, na Holanda o que se vê nesses horários são bicicletas, mesmo porque são levadas a sério, tanto, que se beneficiam de inúmeras faixas exclusivas, além de um sistema de sinalização exclusivo para as ciclovias

Além disso, a população pode trocar o carro pela bicicleta facilmente, basta alugar por 24 horas, daí, é um incentivo a mais para deixar o carro na garagem pelo menos um ou dois dias por semana

Embora na Holanda a mobilidade urbana de 1º mundo seja algo notável como pode-se imaginar, mesmo assim, congestionamentos de trânsito continuam acontecendo, claro que cada vez menos, principalmente em Amsterdam, por isso, os veículos precisam ter GPS que ajude a encontrar rotas alternativas para não aumentar o caos.

Andar de transporte público na Holanda é realmente de 1º mundo!

Para tomar um ônibus, basta ir até o ponto próximo e procurar as informações sobre o horário e itinerário de cada linha, e como todo tipo de transporte está interligado, tem como saber o horário do ônibus, do trem, do metrô e do bonde, todos sem atrasos.

Eventualmente em casos esporádicos pode ocorrer algum problema mais sério em alguma linha, mas, os usuários são avisados com antecedência para se programarem, ou seja, se o horário do ônibus é as 10:15 horas, o usuário pode chegar no ponto as 10:14 horas, se chegar após as 10:15 horas, perdeu o transporte.

Comparado ao Brasil, principalmente os ônibus estão longe do padrão europeu, já que os motoristas de lá dirigem com cautela sabendo que o transporte são de pessoas que merecem respeito, então freadas repentinas só em último caso, além disso, a limpeza e o conforto são elogiáveis.

Aqui, para alcançarmos uma mobilidade urbana de 1º mundo,  seria necessário uma mudança na cultura ,já que o que o país depende da indústria automobilística para obter lucros e gerar emprego, talvez  seja por isso, que as alternativas para os transportes ficam a desejar.

Atualmente a quantidade de veículos particulares que circulam pelo país, está desproporcional aos investimentos que vem sendo feitos na infraestrutura em geral para a melhoria da mobilidade urbana de uma maneira eficiente, e claro, atraente.

A prova disso, é que a maioria dos motoristas preferem enfrentar congestionamentos gigantescos, gastar com estacionamentos, e passar horas de estresse diariamente, em vez de ficar minutos apertado dentro de ônibus, trens e metrôs, a maioria sem ar condicionado, mesmo com os corredores que agilizam a velocidade dos ônibus, ainda está longe do que o brasileiro gostaria.

Por enquanto, só nos resta torcer para que um dia o Brasil esteja dentro dos padrões da mobilidade urbana de 1º mundo como acontece na Holanda, e em outros países, com transporte público de qualidade, avenidas, estradas e ciclovias planejadas e sinalizadas que ofereçam segurança para todos.

Veja nossos vídeos em nosso Canal 2e4 Rodas

Saiba na hora que um novo vídeo foi postado.
Com novidades em equipamentos automotivos, segurança,
diversão e entretenimento da área mecânica, informação e lazer.

Existem diferenças entre motor turbo e aspirado?

Existem diferenças entre motor turbo e aspirado?

É preciso entender as diferenças entre motor turbo e aspirado, explorar os aspectos, desvantagens e, vantagens, assim, pode escolher um veículo perfeito para compra. Existem diferenças entre motor turbo e aspirado?

Conheça a ANFAVEA

Conheça a ANFAVEA

Fundada em 15 de maio de 1956, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (ANFAVEA) é a entidade que reúne as empresas…

A história dos elevadores

A história dos elevadores

Já parou para pensar na importância do elevador nos dias de hoje? Subir e descer pelas escadas, sem dúvida, ainda, é a melhor maneira para…

Nota

Imagens meramente ilustrativas.

Atenção! Importante a leitura da Nota de Esclarecimento presente ao final da página.

Pin It on Pinterest

Share This