Os tipos de óleos lubrificantes ou óleo no motor tem o objetivo de lubrificar cada uma das partes do motor. Assim, facilita o trabalho de cada componente, prevenir atritos, prolongando a vida útil do motor. O cuidado com o nível do óleo, a data para troca de  óleo e escolha pelas funções do lubrificante contribuem.

 

Excesso de óleo no motor

 

Em vista disso, é necessário estar sempre de olho no nível do óleo, não pode estar nem baixo nem alto demais. Caso contrário ao elevar a temperatura do motor pode causar respingos vistos no chão onde estaciona. Logo isso, as vezes pode levar o mecânico a “achar que o motor tem problemas sérios”.

 

Nível de óleo baixo

 

Ao mesmo tempo, quando o óleo do motor está abaixo do normal, pode causar danos nas partes internas. Consequentemente começando a ressecar e aumentando atritos e desgastes dos componentes.

 

Atenção na data para troca de óleo

 

• Logo, é preciso ficar sempre atento ao nível do óleo, e lembrar da troca de óleo. Assim, a troca deve ser feita na data estipulada pelo fabricante do lubrificante.

• Contudo, mesmo se o carro foi pouco utilizado, provavelmente não atingiu a data para troca. Todavia, se está há 1 ano com o mesmo lubrificante, o motor não está mais protegido. Portanto deve ser substituído de imediato.

 

Somente lubrificante recomendado

 

• Mesmo com esses cuidados, é importante que o óleo a ser utilizado seja sempre o indicado no manual do proprietário. Por isso, fique atento ao lubrificante que o frentista no posto de combustível coloca. Isso, inclusive se for apenas para completar o nível.

• Para frisar bem, o óleo lubrificante deve ser o mesmo do manual. Conforme foi especificado com aquele tipo de óleo que o motor foi desenvolvido, testado e aprovado.

 

Quais os problemas de usar qualquer óleo no motor

 

• Ao usar qualquer óleo no motor, ou seja, que não seja o indicado, é fácil notar o aumento no gasto de combustível. Seja gasolina, álcool ou seja diesel.

 

Entenda por que o carro consome mais combustível

 

Embora o lubrificante trabalhe separado do combustível, sempre que não for específico para o motor, ou, está velho pois não foi trocado na data limite, acabam se misturando, e isso, pode danificar o motor, visto que:

• Aumenta o consumo de qualquer tipo de combustível;

• Perde o desempenho;

• Eleva a temperatura do motor;

 

Quais as funções do lubrificante

 

• Sempre que colocar o óleo indicado pela montadora, as superfícies metálicas internas do motor são protegidas por uma película. Isso que evita o calor e reduz o atrito;

• Previne o acúmulo de partículas e sujeiras nas paredes do motor, e de ácidos que criam borra e oxidam as peças;

 

É importante utilizar lubrificantes de marcas conhecidas, pensando na vida útil do motor de seu carro. Isso, visto que óleos de procedência duvidosa causam tantos danos quanto o combustível adulterado.

 

No Brasil, existem 3 tipos de óleos lubrificantes:

Minerais

 

• Por vezes, óleos minerais são produzidos a partir da separação dos componentes do petróleo;

 

Sintéticos

 

• Assim, óleos sintéticos são produzidos em laboratório por meio de processos químicos;

 

Semissintéticos

 

• Logo, semissintéticos são produzidos a partir da mistura do óleo mineral com o sintético;

 

Geralmente o tipo de lubrificante indicado no manual do proprietário é óleo sintético. Logo, com a vantagem de ter na fórmula, aditivos especiais que garantem desempenho e durabilidade do motor.

Na dúvida, consulte o manual.

Nota

Imagens meramente ilustrativas.

Atenção! Importante a leitura da Nota de Esclarecimento presente ao final da página.

Share This