Por que tantos motociclistas acham não ser preciso ter cuidados com o óleo da moto? Pelo contrário, é extremamente importante para deixar o motor redondinho! Assim, como a troca de óleo na data limite é tão fundamental para qualquer tipo de moto e de veículos também.

 

O que acontece com a falta de óleo no motor

 

• Rodar com a moto ou com o carro sem óleo no motor, ou, estar com o óleo vencido há muito tempo, simplesmente causa um dos prejuízos que mais pesa no bolso do consumidor, fundir o motor!

• Para evitar o transtorno de ficar sem a moto, e ainda, arcar com despesas inesperadas, é só ficar de olho do nível de óleo da moto e, fazer sempre fazer as trocas necessárias, ou seja, na data prevista pelo fabricante do lubrificante.

 

Qual a função do óleo da moto

 

Na realidade, o óleo da moto tem três funções:

• Serve para reduzir o atrito interno do motor, a fim de evitar que as peças metálicas batam entre si, acelerando o desgaste;

• Serve para refrigerar os componentes do motor, prevenindo altas temperaturas;

• Atua também na lavagem do motor no combate a contaminação;

 

Entenda melhor

 

• O sistema de óleo é projetado para capturar o máximo de dejetos contaminadores que possam estar se acumulando dentro do motor. Dessa maneira, esses objetos estranhos são expelidos, enquanto passam através do filtro de óleo. Por esse motivo, trocar o óleo sempre que necessário, é tão importante, quanto substituir o filtro de óleo. Assim, tem se a certeza de remover qualquer tipo de agentes contaminadores que podem contribuir para um péssimo desempenho do motor, causando inclusive, gasto excessivo de combustível.

• Significa que entre os cuidados com o óleo do motor, não basta apenas verificar se está na marca prevista, tem que estar atento a data da próxima troca de óleo que vai de acordo com o óleo colocado. Mesmo assim, dependendo do modelo da moto, a troca do filtro pode ser a cada 3.000 ou 4.000 km rodados, o ideal é que seja substituído sempre que houver a troca do óleo. No entanto, vale lembrar que motos de garagem que rodam pouco, não devem ficar com o mesmo óleo no motor mais de 6 meses, mesmo faltando muito tempo para a troca.

• A razão disso, é que o óleo no motor da motocicleta parada há tempos, ou que roda pouco, acaba perdendo as propriedades aditivas que tem, não cumprindo mais o objetivo de assegurar a integridade do motor.

• Caso chegue a esse ponto, o óleo velho corre risco de oxidação, enferrujando as partes metálicas responsáveis pelo funcionamento da moto e, o prejuízo será irremediável!

Acima de tudo, os modelos de motos que fazem o duplo papel de lubrificar, além de refrigerar o motor, quando ocorre a falta de óleo, pode ser a principal causa de fundir o motor. O pior é que se não prestar atenção aos sinais que começam a apresentar como engasgos, baixo desempenho e barulho no motor demasiado alto, pode estourar a qualquer momento. E se estiver em meio ao trânsito pesado pode ser muito perigoso, não só para o motociclista como demais carros ao redor, já que vai parar de repente!

 

Como escolher o óleo da moto

 

• Ao chegar no posto de serviços, não peça para trocar o óleo, nem mesmo para completar, com qualquer marca. Existem algumas marcas de óleos que são de má qualidade, com isso, formam resíduos sólidos que acabam prejudicando o funcionamento do motor. Além disso, são mais baratos e podem causar entupimentos levando o motor a fundir da mesma forma, portanto, não economize! Para evitar surpresas desagradáveis prefira pagar mais caro, mas, com a certeza que está colocando óleo de primeira qualidade e, dificilmente fundirá!

 

Tipos de óleo

 

Existem 3 tipos de óleos, minerais, sintéticos e semi sintéticos. Veja as diferenças abaixo:

 

Óleos minerais

 

• São produzidos diretamente do petróleo, são mais baratos e menos resistentes, portanto, são mais vulneráveis a oxidação. O preço baixo é o chamariz perfeito para quem não procura por qualidade.

 

Sintéticos

 

• São produzidos em laboratório, por isso, oferecem maior eficácia e durabilidade. São mais estáveis, resistentes, ajudam com a economia do combustível e, geram menos gastos com a manutenção da moto.

 

Semi sintéticos

 

• Considerados intermediários, pois, é a mistura gerada entre o mineral e o sintético. Vale dizer que alguns modelos de motos respondem melhor com esse óleo. No entanto, é bom verificar o que diz no manual.

 

Como deve ser o descarte do óleo

 

• Locais que fazem troca de óleo, devem descartar de forma adequada o óleo retirado das motos e, veículos em geral, visto que a exposição ao meio ambiente gera perigo para a saúde;

• Jamais despeje em sacos plásticos ou latas de lixo, nem despeje em ralos. Saiba que um único galão de óleo usado pode contaminar 1 milhão de galões de água doce.

Cuide bem do óleo da sua moto, o bolso e, o meio ambiente agradecem!

Nota

Imagens meramente ilustrativas.

Atenção! Importante a leitura da Nota de Esclarecimento presente ao final da página.

Pin It on Pinterest

Share This