É surpreendente como a tecnologia na indústria automobilística avançou nos últimos 50 anos. Ao contrário da maioria de ruas e estradas que mantém quase a mesma aparência de 50 anos atrás, longe, das cidades e as estradas no futuro!

O problema é que ruas e estradas quando projetadas são feitas para resistir por décadas. Pois, dependem de investimentos públicos de grande valor, e o custo para equipar até mesmo uma parte de rodovias com uma tecnologia avançada. Assim como seriam as cidades e as estradas no futuro, precisariam de valores incalculáveis.

A razão de não haver essas mudanças consideráveis, é a necessidade de elevados custos para criar as cidades e as estradas no futuro. Por isso, tem de ser bem planejado e dentro do orçamento previsto, enquanto isso, os veículos são inovados a cada ano com tecnologias incríveis!

 

Ações a serem tomadas

 

O aumento da frota veicular nas ruas cresce assustadoramente nas principais cidades. Logo se está frisando ainda mais, a ineficiência da infraestrutura viária. Assim como sabemos que a tendência para os próximos anos será caótica!

Por motivos como esses é que as cidades e as estradas no futuro precisam sair do projeto rapidamente para dar lugar a modernidade. Isso tudo antes que atinja o completo caos no trânsito, elaborando ações como estas:

  • É preciso haver um planejamento inteligente na mobilidade urbana conforme cada cidade. A maneira ideal seria evitar a necessidade das pessoas terem de se locomover a grandes distâncias para ter acesso a bens e serviços.
  • Dentro desse planejamento as cidades devem oferecer transportes confortáveis e de qualidade aos usuários. Portanto,de maneira que a cidade cresça permitindo um trânsito com ótima fluência.
  • É importante que toda infraestrutura criada tenha uma durabilidade superior há 10 anos, já que é um investimento público alto. Assim como, que seja compatível a receber mudanças para uma expansão futura, vinculado a transportes inteligentes.

 

 

Solução é o transporte intermodal

 

O dinheiro arrecadado através dos fluxos de receita deveria ser utilizado na construção e reparo das estradas. Assim como também deveria ser utilizado a precificação, que é pagar por quanto e como você for. Isso para incentivar o uso eficiente da infraestrutura.

Para alcançarmos um futuro mais eficiente e sustentável, a solução talvez fosse o transporte intermodal. Aquele que requer tráfego misto ou múltiplo, envolvendo mais de uma ou várias modalidades de transporte. Ou seja, vários transportes integrados como circuito a pé, bicicleta, pequenos veículos elétricos, carros, transportes públicos.

 

Meios de transporte

 

O interessante é que essas opções de transportes seriam seguras e não poluentes, com transferência contínua e pagamentos de tarifa. Assim, as pessoas teriam várias opções e poderiam escolher os meios de transporte para cada viagem.

E ainda, haveria outras modalidades mais eficientes de transporte onde veículos de alta ocupação, e trânsito de alta capacidade seriam priorizados. Assim, como a mobilidade autônoma por demanda. Portanto ideal para muitas viagens abrangendo pessoas a pé ou de bicicleta, ônibus de alta capacidade e trens nos corredores mais movimentados.

Apesar de parecer que as cidades e as estradas no futuro estão longe da realidade no Brasil, a prestação de transporte eficiente e sustentável já são vistos em Londres, Hamburgo, Copenhague, Helsinque e Portland (Oregon, EUA).

 

Tópicos a serem enfrentados

 

A construção das cidades e as estradas no futuro tem diversos fatores que precisam ser enfrentados:

  • Logística e o custo;
  • Tempo e o custo para construção de novas infraestruturas;
  • Não tem como para renovar uma infraestrutura existente, visto a escala massiva da rede viária típica;
  • Modernizar equipamentos de sinalização de trânsito pode levar anos em cidades grandes;
  • Atualizar a infraestrutura existente pode deixar tudo fora de serviço por muito tempo;

Os Carros autônomos que são aqueles sem condutor, quando compartilhados poderiam reduzir a necessidade de estacionamento. Logo, cada veículo compartilhado poderia substituir mais de 10 veículos particulares.

Tudo são ideias inovadoras, interessantes, modernas, que estão longe do padrão brasileiro, mas, quem sabe, um dia?

Nota

Imagens meramente ilustrativas.

Atenção! Importante a leitura da Nota de Esclarecimento presente ao final da página.

Share This